Meu Principio

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Meu Principio

Vou cantar o meu principio não vão pensar que é moleza
Sempre vivi abraçado com a miséria da pobreza
Trouxe o dom de ser poeta pra mais tarde ter defesa
Já passei muitos trabalho
Vivendo assim que nem galho por conta da correnteza

Meu serviço mais leviano foi prender bois em carreira
Machado em corte de lenha, de pá abrindo valeta
Abrindo corte de estrada no cabo da picareta
Fui homem sacrificado
Quem nem braço de aleijado esfolado da muleta

Cantava só nos domingo não era assim como canto
Eu também não nem esperava que um dia cantasse tanto
Me chamavam de endiabrado e se eu era não garanto
Pobre, bravo sem juízo
E os bolso sempre liso que nem rostinho de santo

E com um baralho na mão eu não era muito tanso
O meu baralho marcado, descobriam e davam o ranso
Ali começava a briga, minha vida era um balanço
Fui ligeiro quem nem gato
Eu era o tipo de pato que as vezes passava por ganso.

(Depois de quarenta anos foi o que me fez o melhor
Fui gravar, fiquei artista, vivo mais folgado agora
Tenha carro, tenha casa, mas descanso poucas hora
Eu sou que nem botão de roupa que tem casa, mas não mora
Sou que nem cinta em fivela
Que entra por dentro dela e sai pro lado de fora)

Nesse pedaço de chão eu fui muito sacrificado
Eu as vezes sinto canseira só no lembrar meu passado
Hoje a vida ta mais frouxa quem nem palanque em banhado
Pelos filhos eu nem garanto
Porque eu trabalhei tanto que eles nasceram cansado.
(Ha,Ha, é isso mesmo vamo encerrar)


Autor(es): Gildo De Freitas

Las canciones más vistas de

Gildo de Freitas en Octubre