Nascido e Mal Pago

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem
Ninguém

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem
Ninguém

Ninguém passou na vida
O que eu passei, o que eu sofri
Carregando pedra
Lá em Japeri
De ganhar a vida
Só pegando tatuí
De penar na fila
Do Pam do Andaraí

Ninguém passou na vida
O que eu passei, o que eu sofri
De ser pensionista do IAPI
De morar com sogra
Aturando ti ti ti
Carregando mala
Descascando abacaxi

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem

Já andei a pé de Del Castilho ao Cachambi
Cheio de saúde fui parar no CTI
Já toquei cuíca pra cantar "sabor a mi"
Já fui figurante de novela da Tupi

Já fui convidado pra fazer harakiri
Ninguém vai poder me dizer "esse filme eu já vi"
Ninguém

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem

Já fui reprovado em concurso pra gari
Até num terreno lá na lua eu investi
Já banquei honesto lá na feira de Acari
Ganhei uma mina, só que era travesti
Um psiquiatra me deu zero de QI
Ninguém vai poder me dizer "esse filme eu já vi"
Ninguém

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem
Ninguém

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem
Ninguém

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem
Ninguém

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem
Ninguém

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem
Ninguém

Ninguém, ninguém, ninguém
Podes crer, meu compadre, que não tem
Ninguém

"Sambas da minha terra, fx 12, canção 1"

Canciones más vistas de

MPB-4 en Enero