Nirvana

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Mentiras, ódios, traições, fúrias, crises psicóticas
Remorso, curas, pânico, egoísmo, arrogância, drama, suicídio
Mega depressões, nirvana
Minha mente confronta com tudo que o olho vê
Meu estômago ronca, mas não consigo comer
Me envolvi, nem sei como é que eu vou resolver
Paguei pra ver, vou morrer de tanto viver
Sente o flow, toda a fluência
Meu rap é o sintoma da minha doença
Não tem como parar, nem jogar com sua regra
Comece a me julgar, atire logo sua pedra
Depois de várias rixas, apostei a minha ficha
Já desci pra pista, chamem o exorcista
O poeta não morreu, voltou com mais força
Aprenda a não ser nada pra ser alguma coisa
Mas eu tô vivo, mesmo com alguns problemas
Sujeito a delírio, reações extremas
Mente aventureira, alma inquieta
Ando louco por aí, é isso que me resta
Julgue o beck que eu fumo, o copo que eu tomo
Tudo que eu consumo,a mina que eu como
Diga que sou um demônio, me mostre sua cruz
Promovendo a escuridão alegando ser luz
Covarde! Conversa pra criança
Ideia vencida, seu moralismo cansa
Eis mais um louco com a mão no microfone
Liberdade é pouco, o que eu quero não tem nome
É natural eu receber vaia dos seus
Quem vive a poesia, cobaia de Deus
Otimismo é a ilusão do desinformado
Numa margem distante, ret registrado

Las canciones más vistas de

Filipe Ret en Junio