Barão Vermelho

Política Vóz

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp


Eu não sou o mudo
Balbuciando querendo falar
Eu sou a voz da voz do outro
Que há dentro de mim
Guardada falante querendo arrasar
O teu castelo de areia
Que é só soprar, soprar
Soprar , soprar e ver tudo voar
Eu não sou a porca que não quer atarraxar
E nem a luva que não quis
na sua mão entrar
Eu sou a voz que quer apertar o cerco e explodir
Toda essa espécie de veneno
Chamado caretice
E expulsar do ar
Do ar, do ar a nuvem negra
Que só quer perturbar
Soprar e ver tudo voar
Soprar e não ficar nada pra contar
Eu não sou o mudo balbuciando
querendo falar
Eu sou a voz da voz do outro
Que há dentro de mim
Guardada falante querendo arrasar
Com teu castelo de areia
Que é só soprar, soprar
E expulsar do ar, do ar, do ar
A nuvem negra que só quer perturbar
Soprar , e ver tudo voar


Autor(es): Jorge Salomao / Roberto Frejat

Canciones más vistas de

Barão Vermelho en Octubre