Segurança da Salvação

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

O autor de Hebreus falou
Sobre coisas melhores
que acompanham a salvação.

Ele se referiu a muitas coisas,
mas a melhor das melhores
se refere à imutabilidade
do propósito de Deus
em relação à salvação.

Isto é, ele nunca mudará
as coisas que a acompanham
e especialmente a que se refere
à sua própria concretização,
isto é, Ele a conduzirá,
Ele próprio o fará
até a Sua completa consumação
com a nossa entrada
na posse da herança eterna
que nos tem prometido nos céus.

Foi exatamente para mostrar
aos herdeiros da promessa da salvação
que são os crentes,
de que seriam realmente salvos em Cristo,
e que deveriam descansar
quanto a esta verdade,
Deus, para mostrar a imutabilidade
deste Seu propósito
se interpôs com um juramento.

Jurando por si mesmo a Abraão
que no seu descendente que é Cristo
abençoaria todas as nações da terra,
a saber, a todos os que
cressem no seu nome.

Se Deus jurou fazer
é porque Ele de fato
não voltará atrás
no propósito sobre o qual jurou,
em nenhum tempo.

Então não serão as perplexidades
as fraquezas, as tristezas,
os sofrimentos e tudo o mais
que os crentes possam sofrer
em sua jornada terrena,
que poderá lhes tirar esta salvação
que foi prometida por juramento
feito pelo próprio Deus.

A imutabilidade deste propósito divino
foi evidenciada por duas coisas imutáveis,
a saber: a promessa (primeira coisa)
e o juramento que Ele fez (segunda coisa).

A promessa já seria suficiente,
mas foi reforçada com um juramento
para que não houvesse nenhuma dúvida
quanto à segurança de recebermos
e mantermos para sempre
aquilo que Deus nos prometeu,
a saber, sermos herdeiros
juntamente com Cristo.

E a natureza desta firmeza
é comparada a uma âncora,
que nos segura firmemente.
E a segurança e firmeza
não são propriamente nossas,
nem da nossa fé,
mas desta âncora que é a promessa
e o juramento feito por Deus.

Então a promessa e o juramento
estão ancorados no sacerdócio
e no sacrifício de Jesus
e não em nós mesmos,
de maneira que não vacilemos
ou duvidemos do seu cumprimento,
porque não estão firmadas em nós
que estamos rodeados
de muitas fraquezas,
mas no próprio Cristo
que não tem qualquer fraqueza,
antes é Todo Poderoso.

Las canciones más vistas de

O Evangelho da Cruz en Septiembre