Surungo no Campo Fundo

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Me chego pro posto
Do Campo do fundo
Mulher e surungo
Me adoçam de gosto
A entrada é dez pila
Rodeio a guaiaca
E o cabo da faca na luz se perfila
Em baile de cobra
Não vou sem porrete
Que em baile e piquete
Seus olhos desdobra
Boteja rolhada deixei na macega
E a canha me alegra
Na quarta bicada
Viola e cordeona
Na luz do candeeiro
E os zóio matreiro
De uma querendona
Não tenho sossego
Num baile macota
Fraqueio com as bota
E balanço o pelego
Se alguma pinguancha
Me agarro em cambicho
Me encurto e me espicho
Na volta da cancha
No chão da bailanta
Eu cravo a coqueiro
E neste terreiro
Outro galo não canta
E não canta mesmo
Eu danço e balanço
Na volta da faca
Se um touro me ataca
Termina boi manso
Me vou as macegas
Pra um último gole
E o ronco do fole
Num bufo se entrega
A noite tá morta enquanto me vou
A moça ficou me
Bombeando da porta
Lindaça e feliz parece um retrato
Seu cheiro de extrato
Me adoça o nariz


Autor(es): Apparicio Silva Rillo / Pedro Ortaça

Canciones más vistas de