Trapo de José

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

José viveu no norte
Cheirando a fome e a morte
- Num raio de uma milha
Não tem nem uma família
Que se possa sustentar
- Num raio de uma milha
Não tem nem uma família
Que se possa sustentar
- Eu vou buscar dinheiro
No Rio de Janeiro
E quando ele chegou
A beleza vislumbrou
Logo, logo exclamou:
- Finalmente aqui estou!
Dia a dia de batalha
Foi vivendo na fornalha
- Trinta e um tem pagamento
Sem direitos, sem aumento
Meu diário é sofrimento
Vou viver pra trabalhar
- Trinta e um tem pagamento
Sem direitos, sem aumento
Meu diário é sofrimento
Vou viver pra trabalhar
- Assim já não tem graça
Vou entrar na cachaça
Na sarjeta então chegou
Mas ninguém se espantou
Olha o trapo que ficou!
A vida que restou...
Zé ferrado
Sem forró
A barriga não forrou
Na sarjeta ele ficou
Se ferrou
Zé ferrado
Sem forró
A barriga não forrou
Na sarjeta ele ficou
Se ferrou
Se ferrou
Se ferrou


Autor(es): João Prista

Las canciones más vistas de

João Prista en Agosto