Tropa Ponta Cortada

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Duzentas mula argentina, mansas, xucras, caborteiras.
Cruzaram pela fronteira nadando pro nosso lado.
Ponta, corrida, cortada, porque as melhor vêm na frente.
Sistema de antigamente selecionando a mulada.

Tropa pronta e faturada, burro cargueiro e bruaca.
E o velho Tito Guaiaca, cozinheiro e ponteador.
Na frente, as mansas de arreio e a velha mula ruana.
Na goela, leva a campana do cincerro cantador.

De São Borja até Cruz Alta, foi quase um mês estradeando.
Mais meio até Passo Fundo folgando pra descansar.
Dois dias e um pouco mais, tropa na estrada de novo.
Estirada ao novo povo, da Vacaria dos Pinhais.

Estalo, relho e assovios, do cincerro à badalada.
Planalto, picada e rio, no rumo de Sorocaba.

Lages... Castro..os birivas, nestas tropeadas muleiras.
Não respeitavam fronteiras, divisa ou tempo qualquer.
Quanto maior a distancia, a lembrança dobra a idade.
Mas o que dói, é a saudade do pago o rancho e a mulher.

Paraná depois São Paulo tropa entregue se boleavam.
E os sentimentos brotavam, rebentando o maneador.
Lembrando a mulher amada no baldrame do galpão.
De mate pronto na mão, bombeando pro corredor.

Canciones más vistas de