Vida Sofrida de Boi de Carro

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Eu já puxei carro de boi e arado
Pranchão pesado chega doia no osso
Botava força que os mocotos davam estralos
A canga fazia calo e machucava o meu pescoço

Mesmo cansado obedecia ao carreiro
Cabeçalho e tandoeiro era vermelho de barro
Ainda levava furada de ferrão, meu sangue pingava no
Chão
E sujava as rodas do carro

E na ladeira escurregava no barro
As pedras cortavas meus cascos, com o peso me
Ajoelhava
E o carreiro com o chicote me batia, eu berrava e as
Carnes tremiam
Mas o carro eu não virava

Depois de velho me fizeram covardia
Fui desprezado da família e maltratado pelo dono
Trabalhei para criar os fihos do meu carreiro
Enriquei o fazendeiro e hoje vivo no abandono

Mandaram me pegar pra furar meu cabel'ouro
Me sangrar, tirar meu couro com a navalha do facão
Até o machante chorou quando jogou-me o laço
Boi velho vai ser churrasco na mesa do meu patrão

Las canciones más vistas de

Mano Walter en Diciembre