Agressor

Belo Morte

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Desenterraram belo monte outra vez
Querem empurrar essa barragem com areia e sal
E o governo que insiste não ouvir
Prejudicados são tratados como ratos
A ditadura disfarçada que aí está
Mais preocupada em fazer o jogo sujo
Afagar mineradoras, empreiteiras
E as elites que comandam esse país

O tal progresso quer rasgar as nossas leis,
E o outro lado da moeda como faz?
Pilhagem ensandecida que nunca tem fim

Que se fodam as potências mundiais
Tal como sanguessugas
Querem as riquezas do brasil
E o estado que é passivo, subserviente
Colonizado, simpático, servil
Mineradoras que nos pisam pelo ouro
Somos capachos a beijar-lhes suas mãos
Irão sangrar a amazônia até a morte
Veias abertas fruto da imposição

O tal progresso quer rasgar as nossas leis,
E o outro lado da moeda como faz?
Pilhagem ensandecida que nunca tem fim

O próprio estado financia essa aberração
Mil retóricas vazias pra ludibriar
Tucuruí mostrou que eles mentiram e ainda mentem cooptando lideranças pra manipular

Belo monte não precisamos dela
O eia/rima está cheio de falhas
E a carta magna foi vilipendiada
Os direitos se transformaram em nada

Aos poucos vamos dizimando todos nossos índios meio ambiente vira entrave para o capital
Os ribeirinhos, quilombolas ficarão à míngua
A barragem mascarando o motivo real

As alternativas estão em nossas mãos
Biomassa solar, eólica
Falta investir ou falta vontade?
E eu não quero desenvolver a esse preço