Abel e Caim

Boiadeiro valente

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp


Em uma cidade do interior um boiadeiro ricaço vivia
A sua vida era sempre viajando comprava boiada e também vendia
E na saída pra uma viagem de despedida abraçou a família
Ele disse pra esposa querida
Essa viagem é comprida não sei quantos dias

Quando a tarde já ia morrendo e o negrume da noite descia
A mulher já estava jantando quando viu que alguém na porta batia
Era um peão empoeirado que abrigo pra ela pedia
Sua vista já estava cansada
E romper mais estrada ele não resistia

Explicou que estava sozinha e por este motivo aceitar não podia
Ele disse eu sou de confiança dou minha palavra como garantia
Passo a noite aqui mesmo na sala nesta minha baldrana macia
A senhora fique sossegada
Pois eu vivo nas estradas, mas tenho família

Pois os gatunos desta região bolaram um assalto durante o dia
Chegaram à noite arrombaram o telhado bem na direção que o peão dormia
O peão passou a mão no seu laço manejou com muita maestria
Um por um foi deixando amarrado
E levou arrastado pra Delegacia

Delegado abriu a gaveta e puxou um álbum de fotografia
Ficou constatado através do fichário diversos assaltos daquela quadrilha
O peão disse assim para eles vão ficar em boa companhia
Me desculpe ter lhe incomodado
Senhor Delegado até um outro dia