Camponês Operário

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

você que trabalha com a enxada
tem as unhas negras sujas
do humus e do adubo
e respira o pó que da terra emana
você que revolve o chão qual pisa
e que ordenha rotineiramente o gado
e que solitariamente agradece o dia a dia
você que molda o ferro no calor do fogo
vira a massa que vai construir tantas casas
e sente nas mãos o calorda rotina
você que conta moedas em sinal de desespero
vê seus filhos serem enterrados pela inanição
e ainda assim esperam
por dogma destino
político promessa
quem espera não alcança só lamenta a miséria
o estado de inércia não demonstra angústia
e nem libera a necessidade de lutar
faça de sua revolta uma luta (com armas)
e não espere pra lutar pra mudar
pra alcançar pra vencer!!


Autor(es): Javali