Cocho de Cabreúva

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Igual um cocho de cabreúva hoje é meu corpo
Que na floresta da mocidade foi derrubado
O boiadeiro meu coração, no curral do peito batendo vai no compasso lento chamando o gado
E o gado manso dos longos anos que se alimentam do sal da vida dentro do cocho esparramado

Porteira aberta onde o sol entra iluminando
Eu que fui mata e a mão do tempo me pois deitado
Eu sou o cocho por deus lavrado
Pelas campinas do meu destino abandonado
Eu sou o cocho por deus lavrado
Pelas campinas do meu destino abandonado

Dentro do velho cocho puído está meu tempo
Cheio de ciscos que pelo vento são arrastados
A capoeira de minha infância foi o seu berço
E o dia-a-dia cortando fundo foi o machado
Cocho sem vida, vida sem ida, ida sem volta
Apodrecendo por longos frios pingos de chuva

Também meu pranto vai diluindo meu ser cansado no chão do mundo, igual um cocho de cabreúva
Eu sou o cocho por deus lavrado
Pelas campinas do meu destino abandonado
Eu sou o cocho por deus lavrado
Pelas campinas do meu destino abandonado

Las canciones más vistas de