Espantalho

Como Pinturas de Van Gogh

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp


Eu te quero tão longe
Eu te vejo tão distante
Eu ignoro meu pranto
Sou piegas em meu conto
Sou ser humano

Eu te quero tão forte,
Eu te vejo tão triste
Eu ignoro o meu pranto
Sou piegas em meu conto
Sou você

O outono chegou... Eu sei
E eu sempre caminhando suportando as dores
De amadores que se escondem em mim
Lançando flechas acesas
Vou clareando por onde eu for
Vou recolhendo fragmentos de ti
Por dentro de mim

Colocou a melhor roupa e penteou os cabelos
Se olhou de frente ao espelho opaco do banheiro
Havia algo de errado, algo a temer
Eram sempre velhos fantasmas que tocavam o seu rosto antes de o sol nascer

Decidiu então secar o corpo e encontrar alento
Descobrindo que estar só não é tão ruim
É apena página de um capítulo ordinário que se anuncia em momentos de fraqueza, corroendo,
Mas não te arrancando os pedaços