BranKobran

Coringa

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Eu sigo destruindo tudo aquilo que toco
Esse é meu foco e nada pode me deter
Se pra você eu sou vilão, pra muita gente
Eu sou herói, e você que fala tanto
Ninguém sabe quem é você

Estou no meio de predadores famintos
Então sigo meu instinto e acabo com isso sem piscar
Eu não quero que o inferno continue
Mas se geral quer que continue, ele vai continuar
Então me chame de coringa porque
Eu sou um perigo pra mim mesmo e para a humanidade

Frio e sarcástico foi no que me tornei e quer saber?
Obrigado sociedade
Só sai do lugar aquele que tem coragem
De dar o primeiro passo, conquistei o meu espaço
Que eu erro muito é fato, mas não vivo de teatro
Minha vida é verdadeira, tenho orgulho do que eu faço

Se der errado, pelo menos eu tentei
Quando paramos de tentar, paramos de aprender
Senhor Jesus, por favor me desculpa
Por muito te pedir e pouco te agradecer
Eu vou agir da forma que eu quero
Se eu quisesse alguma opinião, certamente eu pediria
Porque está tão sério? Deve ser porque percebeu
Que esse mundo tá perdendo a alegria

Vai, vai
Corre pra bem longe
Eu sei que é o grande a vontade de desistir
E muita vezes tenho de ir embora
Só que eu percebo que não tenho pra onde ir
Vai, vai
Porque você não veja
De onde eu vim e como que eu vim
Prefiro ser maluco sequelado do que fazer
Parte desse mundo que não é normal pra mim

Meus pensamentos não se esgotam
Me chama de coringa, me chama de coringa
Nem se quiserem me derrotam
Me chama de coringa, me chama de coringa
Tenho ódio dos votados e dos que votam
Me chama de coringa, me chame coringa
Meus pensamentos não se esgotam não
Se esgotam não, meus pensamentos não se esgotam não

A sociedade me vê como não deveria
Eu sou resultante de um problema social
Criticar é muito fácil mas ajudar ninguém quer
Isso explica a guerra interna moral
Apontam dedos pra mim, estão querendo
Meu fim mas não vai ser assim, escuta
Eu posso ser maluco mas não fujo da rabuda
Da labuta, sou guerreiro na minha luta morô truta?
Arquiteto planos insanos pra passar o tempo
E rimas que eu faço agem como dinamite

Escuta a beat mas não quero seu palpite of shit
Exite antes que eu te mande pelo exit bitch
Não tenho a necessidade de agradar ninguém
E tudo que eu fizer vai ser pelo meu próprio bem
Eu faço rap por amor e também vintém, e se tu quiser vim, tem
Se você é bom numa coisa, nunca a faça de graça

Meus pensamentos não se esgotam
Me chama de coringa, me chama de coringa
Nem se quiserem me derrotam
Me chama de coringa, me chama de coringa
Tenho ódio dos votados e dos que votam
Me chama de coringa, me chame coringa
Meus pensamentos não se esgotam não
Se esgotam não, meus pensamentos não se esgotam não

Eu decidi que vou provar minha importância
De nada vale o homem se nele não há ganância
Pra vencer na vida eu tenho ânsia
E se for entrar no meu caminho, chama de uma vez a ambulância
Decidi, vou provar minha importância
De nada vale o homem se nele não há ganância

Pra vencer na vida eu tenho ânsia
E se for entrar no meu caminho
Chama de uma vez a ambulância
Eu não quero ser melhor do que você, tá?
Deixa eu rimar, isso que eu sei fazer, tá?
Isso aqui sempre foi o meu prazer, tá?

Tá, tá, tá, tá
Não leve a vida muito a sério irmão
Afinal, você não vai sair vivo dela
Você tem todas essas regras e acha que vão te salvar
Mas eu vim pra quebrar todas elas
Meus pensamentos não se esgotam
Me chama de coringa, me chama de coringa

Nem se quiserem me derrotam
Me chama de coringa, me chama de coringa
Tenho ódio dos votados e dos que votam
Me chama de coringa, me chame coringa
Meus pensamentos não se esgotam não
Se esgotam não, meus pensamentos não se esgotam não


Autor(es): BranKobran

Canciones más vistas de

BranKobran en Mayo