Dillaz

Cria Actividade

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp


Cria atividade em ti
Em primeiro lugar gostava de poder falar
Gostava de poder dizer poder abraçar
Sorrir até cumprimentar
Os que deixaram de viver
Historias a lembrar

Se me ponho para aqui a contar
Eu não me consigo conter
Tento não pensar
Agora só resta cantar
Para aqueles que não podem ver

Um a bazar do outro lado a nascer
É é o ciclo da vida sem reparar
Acabas de entrar
E quando reparas estás de saída
Há quem tenha tudo mas quem desperdiça
Vai acabar cego porque já viu tudo e acaba
Como um prego agarrado á preguiça

Agora tu vez o tempo a passar
O puto a crescer
O clima a mudar
E tu no café com mesma caneca
No mesmo sitio mesmo lugar

Aqueles que foram foram com glória
Levanta a cabeça e começa a andar
Uma alma que sobe um corpo que desce
O exemplo da vida é para aproveitar

Mas tu não sentes
Que a tristeza multiplica
O bom baza e o mau fica
É tudo uma complicação

E a mim ninguém justifica
Bazas sem uma data escrita
E eu não vejo justificação
Se a tua criatividade chega ao fim
Cria actividade em ti

Parece impossível
Mas sempre que eu faço o absurdo
Sou eu que me iludo
Porque eu pisco o olho a um cego
Ou tento falar ao ouvido de um surdo

Só quero ser humano
E que de ano para ano
A vida não mude
Uma casa na terra um terreno bacano
Porque não há plano para esta planitude
Pode ser arriscado ou até complicado

Mas tropa tu arrisca em tudo
(E assim vais vencer)
Baixar a cabeça nunca foi matéria para estudo
(Estás sempre a aprender)
Tantos a partir e só fica cá o que desilude
(Nada a dizer)
Que por mim nada fez e por ele fiz o que não pude
(E pode não parecer)

Mas se houvesse a semente que vos desse vida
E curasse esta ferida
Tentava plantar
Sem magoa-la
Tentava planta-la
Para o people que abala
Tornar a voltar

E eu sei que ainda vos vou encontrar
Talvez noutro ponto de partida
Porque ainda não sei o que é ser alguém para além desta vida
E espero o dia que saiba o que é ser
E espero o dia que saiba o que é ser
E espero o dia que saiba o que é ser
Porque eu só espero o dia que saiba o que é ser

Quando achares que tudo aquilo que tens é nada
Ou tudo aquilo que queres não tens

Guarda a tua lembrança mas bem guardada
Porque a esperança vai e vem

Mas tu não sentes
Que a tristeza multiplica
O bom baza e o mau fica
É tudo uma complicação

E a mim ninguém justifica
Bazas sem uma data escrita
Eu não vejo justificação
Se a tua criatividade chega ao fim
Cria atividade em ti