Dia da Cobrança (part. Beleza)

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Não sou de trair meus companheiros
Hahaha
Eu também nao sou de trair meus companheiros
Se eu fosse, ja tinha te comido na bala
Muahahahahha

Será que um dia isso muda?
Essa falsidade absurda
Transforma um antro de amigos num triângulo das bermudas

Agindo por nossas costas
São nada mais do que uns bostas
Com mentiras sem respostas
Fazendo falsas propostas

Se dizem ser da família
Num instante se disvencia
É igual sombra só esta perto quando o Sol brilha
Com a mão direita aperta sua mão enquanto com a esquerda engatilha
Pela frente só faz média, e por trás só
Difícil achar um pouco de amor em um coração traira
Melhor chorar com as minhas verdades que sorrir com as suas mentiras
Não sinto pena, não sinto raiva, só monto as peças
Deus é quem julgou, só vou fazer acontecer o encontro
Ninguém está preparado pra ser cobrado mesmo estando errado
É complicado, desmascarado, envergonhado
Sei que o que deve tu esquece nao reconhece, se prepara que agora tu vai ter o que merece

Falso, eu vo dizer, nao esqueci de voce, num adianta se esconder, nem chorar, nem correr
Chega o dia da cobrança, nao me cansa, qual vai ser
Fala fino igual criança, da vontade de bater
Falso, eu vo fazer, voce nao desmerecer, num adianta ajoelhar, rezar, pedir pra não sofrer
Sua atitude de comédia faz o meu ódio crescer
Tuas caras sem vergonha, para, se nao vai morrer

Sua falsidade é tamanha, nem sei quem perde ou quem ganha
Nem sei se isso é façanha, me engana na artimanha
Não tem paciencia, atitude de fanfarrao
do tres bala na tua cara antes mesmo de uma discussão
Falou de mim, também falou do irmão
Vai paga muito caro, usou meu nome em vão
Me deve explicação, ou uma satisfação
Se depender de mim, hoje num tem perdão
Deu tapinha no ombro, me chamou de meu irmao
Ta perdendo a noção, ta perdendo a razão
Ta perdendo a postura, e o foco na missão
Nunca vi pião com marra de patrão
Um protetor empresário, roupa de operário
Verdadeiro otário, vejo um miserável
Come teu salário, vende até o que num tem
Mil real no bolso ta achando que é alguem
De tanto querer tudo vai acabar ficando sem
Cruzar no seu caminho num desejo pra ninguém
Sua postura é falsa, seu caráter vai além
Deu bote nos amigos e no final virou refém
O que ele vai dizer? O que ele vai falar?
Depende da maneira pelo qual tu perguntar
Se for no sapatinho é claro que ele vai negar
Se for na violência eu faço ele conversar
Se for na minha moda vagabundo vai matar
Beleza e Maomé tamo aqui pra confirmar
Eu vim pra te pisar, vou te maltratar
Não to de brincadeira eu vim aqui pra te cobrar!

Falso, eu vo dizer, nao esqueci de você, num adianta se esconder, nem chorar, nem correr
Chega o dia da cobrança, nao me cansa, qual vai ser
Fala fino igual criança, da vontade de bater
Falso, eu vo fazer, você nao desmerecer, num adianta ajoelhar, rezar, pedir pra não sofrer
Sua atitude de comédia faz o meu ódio crescer
Tuas caras sem vergonha, para, se nao vai morrer


Autor(es): Beleza U-Flow / Maomé Cone Crew

Las canciones más vistas de