Do Avesso

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Viras tudo do avesso
De modo quase vulgar
Esperas que te pague um preço
Que nunca te vou poder dar

Impões a tua fasquia
Em jeito de ritual
Esqueces que há outras vidas
Como se fosse normal

Queres dizer as palavras
Que só os sabios sabem soletrar
Não digas mais coisas parvas
Podes fugir, eu vou-te agarrar

Na, na, na, na, na

Ensaias o dramatismo
Muito melhor do que eu
Estás para além do que invento
Sendo os meus vícios os teus

Ouvimos sempre os conselhos
Que os mais antigos podem ensinar
Mesmo que tenhas defeitos
De quando em vez, podes zarpar

Na, na, na, na, na

Querer o tudo e pedir
Pedir o tudo e querer
Uma vontade de agir, ensinou como fazer
O tempo acabou por vencer