Distopia

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Quanta hipocrisia
Até onde irá?
Pura sociopatia
A se permear

Homens de terno, podres por dentro
E a bíblia na mão, bíblia na mão
Pregam o ódio, intolerância
A cada sermão, cada sermão

Usam do medo, ingenuidades
Roubam de quem pouco já tem
Falam de entrega, de sacrifícios
Ônus não tem, só o que lhes convém

Vulgos falsos profetas
(Ganância como fé)
Gênios inescrupulosos

Quem cura precisa, são justo vocês

Homens de terno, podres por dentro
E a bíblia na mão, bíblia na mão
Pregam o ódio, intolerância
A cada sermão, cada sermão

Usam do medo, ingenuidades
Roubam de quem pouco já tem
Falam de entrega, de sacrifícios
Ônus não tem, só o que lhes convém

Quando alguém vai ter o peito
De se posicionar do jeito
Que o absurdo fere
Que esse crime pede
Não é como se fosse
Um abuso novo
Autoridade não
Se faz com oração


Autor(es): Tomás Bertoni / Philipe Conde / Lucas Furtado / Gustavo Bertoni

Las canciones más vistas de

Scalene en Noviembre