E Agora?

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Tá pensando em desistir ou desistindo de pensar?
Vivendo sem dignidade, afogando o pulmão com ar?
Eu sei que os tubarão grandão tão aí de boca aberta,
Pra te lascar feito sardinha, esmagando vértebra por vértebra.
Ah! Mas “nois é nois” e num abre pros pilantra,
Dificuldade não é barreira pra entalar nossa garganta.
A gente racha o pé, franze a testa caleja a mão,
Literalmente se fode pela porra do cifrão.
Que movimenta o mundo e movimenta seu corpo,
Movimenta pra baixo dos viaduto as vitimas do aborto.
Social, moral, pobreza é normal,
Pra quem investe e patrocina milhões no carnaval.
Mal tem um trapo, maltrapilho é maltratado,
Na fé, lá vai josé com a carroça em meio aos carros.
A gente joga o jogo, e acaba sendo jogado,
Ladrão ou trabalhador acaba indo pro saco.
A truculência é de farda vem de canhão engatilhado,
Faz como quer, se a justiça tem os olhos vendados.
A corda sempre arrebenta pelo lado mais fraco,
A gente vem lá de baixo e continua lá em baixo.
O sistema te priva e te nega a felicidade,
Rotula a sua vida e dá prazo de validade.
O mundo gira, gira o mundo e tudo muda,
Mostra pra essa pátria que nos pariu que um filho teu não foge à luta.

-Refrão
Vamos matar 10 leão por dia, vamos descer pra arena com as armas pra cima.
Pede a benção pra quem for seu guia, vai na fé, que o sangue escorre com suor enquanto o sol brilha.

6 Horas da manhã, encarar buzão lotado
É foda! Todo dia pobre, proletariado
Todo ser humano sempre busca o crescimento
Difícil alcançar atrás de um balde de cimento
Força, luta, sangue, suor
Meu povo sempre almeja ter uma vida melhor
O mano dá um trampo aqui, ali
Sonha com seu filho que ainda está por vir
Esposa tá em casa costurando pra fora
Seu filho vai nascer e ela já não vê a hora
Chora, implora, pede proteção
É foda dar a luz em meio a essa podridão
Cadê os direitos humanos?
É por essas e outras que eu não passo um pano
Pra político safado, é sem massagem
Um país corrompido que esbanja bandidagem
Paraíso fiscal, filho da puta?
Você entope o bolso enquanto o povo luta
Pai de família sofre opressão
Apanha do pm dentro do buzão
Enquanto o ladrão de verdade
Rouba o dinheiro do povo mas não para atrás das grades.

Refrão 2x
Vamos matar 10 leão por dia, vamos descer pra arena com as armas pra cima.
Pede a benção pra quem for seu guia e vai na fé, que o sangue escorre com suor enquanto o sol brilha.

E agora, josé? O mundo mudou, cê vai pra onde?
A inflação vem chegando de mãos dadas com a fome.
O progresso em excesso, é impiedoso e indigesto,
O povo vive na merda e morre que nem inseto.
A conversa é sempre a mesma, falta qualificação,
O prazer é de ver josé se arrastando, limpando chão.
De avental, na chapa fritando hambúrguer pra boy,
Sem dinheiro pro gás, remendando os lençóis.
Acuado sem voz, mas ninguém te socorre,
A morte ta do seu lado, josé. (mas você não morre!).
Você é cria da terra rachada, filho bastardo da pátria,
É gente do povo que acha luxo ter água encanada.
A cara é sofrida, o corpo é envergado,
Dia após dia, sua vida é o barro.
Na sala de espera são mais de 30 pr'uma vaga,
Auxiliar de serviços gerais, carteira assinada.
Passa natal, carnaval, josé espera cansado,
Cansado! Reflete a vida, e o buzu ta lotado.
Vários caminhos sem rumo, e duas pernas pra andar,
Não fica ao Deus dará, e nem tem do que reclamar.
Sustenta a casa e é mais firme do que uma rocha,
É o gladiador no dia a dia das encostas.
José nasceu pra guerra e forjou sua armadura,
Mostra pra essa pátria que nos pariu que um filho teu não foge à luta.

Refrão 2x
Vamos matar 10 leão por dia, vamos descer pra arena com as armas pra cima.
Pede a benção pra quem for seu guia e vai na fé, que o sangue escorre com suor enquanto o sol brilha.


Autor(es): Binho / Flip

Canciones más vistas de

SuspeitoUmDois en Febrero