EPITÉLOGOS

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Aquele corpo jogado no chão
Rodeado por uma multidão
De curiosos que o olham
Outros passam e o ignoram

Uns falam bem feito
Outros perguntam quem é o sujeito
Uns procuram seus machucados
Outros anotam a placa do carro

Outros chamam a ambulância
Outros julgam ignorância
Alguns acostumados com acidentes
Outros nunca tinham visto de gente

Alguns olham só de longe
Outros olham e se escondem
Outros não chamam a atenção
Passam e logo tem uma conclusão

Um homem atravessando a avenida
Fora da faixa um suicida
Que talvez não tenha emprego
Só seja mais um bêbado

E que o suicídio foi a sua forma
De fugir desse mundo que deforma
Logo a policia chega na cena
O pessoal se afasta pra não ter problema

Testemunhas falam tudo o que viu
Outras falam que só ouviu
Que quando chegou lá já tinha acontecido
E que todos falavam que era suicídio

Depois de algum tempo chega a ambulância
E ai a policia parte pra arrogância
Obriga as pessoas a se afastar
Se ninguém ajuda também não vai atrapalhar

O homem é levado pro hospital
Seu estado físico não é legal
É internado com algumas fraturas
Algumas seqüelas e queimaduras

Tomando soro sendo medicado
É muito pouco todo o cuidado
Um senhor aparentando 58 anos
É meramente lembrado pelos direitos humanos

Quando retoma a consciência recebe alta
E sem acompanhante pra voltar pra casa
É encontrado na rua desacordado
É só mais uma vitima de maus tratos

Novamente ao hospital dessa vez com hemorragia
Com doença ortopédica e pneumonia
Morre duas horas depois e ninguém ouve seus gritos
Pega carona pro outro mundo em um ataque cardíaco

Foi descuidado médico? -foi.
Abstinência ou desprezo? - os dois.
É só mais um indigente em um necrotério
Mas uma cova ocupada em cemitério

Não fazem nem questão quando seu caixão desce
Pra eles é um a menos no INSS
É só um idoso à menos em algum asilo
É só mais uma estrela que perde seu brilho

Não ligam pois não é ninguém de sua família
Queria ver se fosse alguma de suas filhas
Alguém que eles gostam de verdade
Morto por descaso da humanidade


Autor(es): Izaackque