Flor Misteriosa

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Eu venho trazer o meu abraço
Nos versos dos sambas que faço
No braço do meu cavaquinho

O samba não tem casa
E nem padrinho
Ele nasce de um carinho
E mora no coração
Por isso eu vim cantar num outro terreiro
Para falar bem do salgueiro em respeito a tradição
Por isso eu vim cantar num outro terreiro
Para falar bem do salgueiro em respeito a tradição

Salgueiro não é cravo e nem é rosa
É uma flor misteriosa de pureza e de paixão
Que nasce lá no morro da tijuca
Há tempo que nunca ninguem soube quem plantou

E assim salgueiro sai
Vestido de vermelho e branco ele vai
Parece que a cidade se enfeitou
Na alegria colorida
Feito manto na avenida
Que o carnaval bordou
Na alegria colorida
Feito manto na avenida
Que o carnaval bordou

la la la la....

Las canciones más vistas de

Elizeth Cardoso en Septiembre