Almôndegas

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp


Pena Gô que entre tanto amor
Ainda sejamos sós
Calou-se nossa voz
Neste silêncio de outono
No abandono de um pouco de sol.

Pena Gô que sempre tanta dor
Esgote nosso ser a sede de viver
E a poesia renascida
De nossa paz
Se perca em versos tão banais
Estremecida, espere o dia terminar
Pra não voltar jamais.

Pena Gô que tudo que restou
Se perca em frases vãs
Sem hoje ou amanhã
E siga tudo como antes:
Horizontes, uma estrada e pó.