Insanidade

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp

Insanidade

Ossos quebrados, músculos dilacerados, corações em resílio
Cheiro de sangue infecta o ar, vertigens, loucura, insanidade

Insanidade
Vidas perdidas por nada, a violência me invade
Insanidade
O caos parece não ter fim, o medo me invade
Insanidade
Não, não, não, não, não

Em nobres horários, por audiência, a decadência popular
Teatro de horrores cativa a demência
Quisera poder me desligar

Insanidade
Vidas perdidas por nada, a violência me invade
Insanidade
O caos parece não ter fim, o medo me invade
Insanidade
Não, não, não, não, não

Paralisante, cantiga letal
Balas dançando no final
Perdidas, um corpo cai
E a vida vai ... insanidade

Insanidade
Vidas perdidas por nada, a violência me invade
Insanidade
O caos parece não ter fim, o medo me invade
Insanidade
Não, não, não, não, não ...


Autor(es): Henrique Pappatela