João Mulato & Pardinho

Janela da Vida

Imprimir canciónEnviar corrección de la canciónEnviar canción nuevafacebooktwitterwhatsapp


Nos poros da mente vagueiam lembranças
Que chora a criança do meu tempo ido
Gorjeio de aves de verde sem fim

Cheiroso alecrim dos campos floridos
Também me rodeiam os meus companheiros
Velhos boiadeiros heróis do sertão
Boiada e berrante, também cu rutela,
Tapera e donzela e a estrada de chão

Foi quando deixei mais que de repente
A estrada e sol quente, campinas floridas
Lá estava o passado com a saudade brincando
E os anos fechado a janela da vida
Crescia com os anos de viagem a viagem

A grande estiagem em meu coração
Cochilava no tempo, as léguas vencidas
Também despedida deste velho peão
Lá estava também meu cavalo ensinado
Já velho e cansado sem mais serventia
Até o latir da cachorra baleia

Por certo anseia por pousada e vigília
Foi quando deixei mais que de repente
A estrada e sol quente, campinas floridas
Lá estava o passado com a saudade brincando
E os anos fechando a janela da vida

Canciones más vistas de