Escola x Crime

Print songSend correction to the songSend new songfacebooktwitterwhatsapp

Na escola, muita coisa eu aprendi
No mundo do crime, muita coisa eu vir
Na escola aprendi, a falar a pensa
No mundo do crime, a rouba a matar
Escola tem a ver com educação, disciplina, compreensão
Mundo do crime, só guerra, destruição, ilusão
Na escola eu tinha colegas, amigos, incentivos
No mundo do crime é parceiro, trutas, vários bicos
Tempo de colégio, ere bem louco
Perturbando as tias, deixando os professores nervosos
Estudava par caramba, nas primeiras unidades
Porque assim, nas ultimas eu ficava à-vontade
Nas aulas chatas, ou nas que eu já avia passado
Ficava com as minas, resenhando dando uns amaço
Até que um dia, tudo isso enfim acabou
Apenas na minha mente, saudades e lembranças restou
Saudades de quando vivia, sem mim importa com nada
Lembrança de quando podia, anda desamado pela praça
Como se fosse hoje, lembro de quando larguei a escola
Par mim joga na malandragem, fazer crime toda hora
A rua mim oferecia, o que nenhuma escola pode dar
Carros importados, panos caros, mulheres lindas, muito dinheiro par gasta
Tudo vinha muito fácil, e mais fácil ainda sumia
Mais não importava, por quer eu ganhava tudo no outro dia
Eu e meus parceiros, fazíamos fitas quase todo dia
Era isso que mim sustentava, isso que mim dava alegria.
Um dia, uma dessas deu erada e tudo mudou.
Cagüetaram na parada, e o bicho pegou
Aquela ação terrorista, já estava tomada
Cofre, joia, dinheiro, já estavam na mala
De repente muitas luzes, e sirenes nas alturas
Confesso nunca te visto, na minha frente tanta viatura
Tinha porcos, com todo tipo de camuflagem
Fardas, verde, azul, preta, pronto par maldade
Mesmo sem saída, sei ter para onde correr
Eu tinha decidido, que de nenhuma forma ia mim render
Só eu e dois parceiros, contra dezenas de policias
Todos com o mesmo pensamento, se rende jamais
Toda a minha vida, passou na minha frente em 10 segundos
Logo depois os parceiros gritando, mano acabou tudo
O caro tá cercado, os homens bem armado
Não tem par onde corre! As ruas? Já fecharam
Iai qual a salvação, o que vamos fazer
Se entregar agora, ou lutar ate morre
O que acha truta, está em sua mão
A decisão é sua, iai qual a reação
A reação é uma só, cê sabe da colê
Vamos matar todos, mete bala nos ganbé
Se nos pegarem, vão nos passa na covardia
Então vamos morre aqui, na trocaria.
Saímos de triz do carro, com três fuzis engatinhado
Desejando morte, dando tiros par todos os lados
Como passe de magica, o desejo se realizou
Em apenas 10 segundos, tudo acabou
Tínhamos atitude, disposição, e coragem par lutar
E eles armas melhores, maioria, e pontaria par mata
Lembro quase nada, daquele momento
Parceiros caindo, sangue escorrendo, e um anjo do céu descendo
Pedindo por favor filho, abre os olhos
Seu tempo não acabou filho, eu imploro
Resista, lute, aquente firme
Sua hora não chegou, não é o fim do seu filme
Fui enviado por cristo, para te proteger
Também avisa, que ele tá magoado com você
Usando o único folego, que mim restava
Olhei por anjo e disse, por favor, mim salva
Mim ajude a sai dessa, que nesse momento te faço um promessa
Mim entregarei de corpo e alma a jeová, esquecendo tudo o que não presta
Serei um homem novo, renovado no espirito santo
Um missionário de deus, que sua palavra estará ensinando
O anjo sorriu, e ficou ainda mais iluminado
Segurou na minha mão, e em minha frente ficou ajoelhado
Fechou meus olhos, pedindo para eu mim acalmar
Colocou a mão no meu coração, e começou a reza
Aquelas palavras, invadiram minha mente, cortava minha alma
Com tanta fúria, que nem as dores dos tiros mais importava
Ao fim da oração, eu disse amem e apaguei
Minha ultima visão, foi o anjo voltando para o rei
3 messes depois, acordei num hospital
Com nome balas no corpo, mim sentindo muito mal
Ligado a aparelhos, monitores, tubo de respiração
A cabeça estourando, um dó enorme no coração
Meus olhos queimavam, com a luz daquela sala
Vir alguém se aproximando de branco, mais quase não enxergava
Era o medico responsável, por minha sobrevivência
Um homem de valor, de imensa experiência
Calmamente ele mim conto, tudo que avia acontecido
Como fui encontrado com mais dois corpos, por um catador de lixo
Que ao percebe em mim movimento, mim levou ao hospital
De caro de mão, entre o lixo como qualquer animal
Também mim contou, que não avia mim salvado
Disse que foi um deus poderoso, que morreu pelos meus pecados
Dois meses depois, mim deram alta e voltei a realidade
Sem moradia, dinheiro, amizade, nesse mundo covarde
Desprezado, jogado ao nada, como poeira na estrada
Cada passo que dava, lembrava dois meus erros, das minhas mancadas
Estava andando distraindo, impaciente, indeciso
Quando trombei com um senhor, que disse filho entra na igreja com migo
Ao chega na portada igreja, esse homem desapareceu
Então eu ia embora, quando vir uma voz dizendo, volta filho meu
Fiquem assustado, meio desconfiado
Mim perguntando, essa voz vem de que lado
Meio com medo sei lá, meio cismado
Entrei na igreja, e mim coloquei sentado.
Uma angustia tomou conta de mim, fazendo mim lembra daquela noite horrenda
Onde em troca da minha vida, ofereci minha alma a deus como recompensa.
Estão mim levantei, fui até o alta e dei meu depoimento
Mim sentir forte, renovado, com o espirito santo agindo por dentro
Aparte desse dia, tenho andado com cristo
Pois reconheço que um milagre, aconteceu com migo