MAG

Juízo Final

Print songSend correction to the songSend new songfacebooktwitterwhatsapp

Hã hã
A luz do fim do túnel é o brilho de Jesus
Meu pacto é de sangue
Eu tenho a minha gangue
Até que ponto você deixa
Sua mente só se fecha
Fica em frente da TV
Não sei mais quem é você
Fala da moda como se não tivesse opinião própria
Da Globo e Hollywood você é só mais uma cópia
Repete tanta merda que disseram pra você
Sua personalidade pode desaparecer
Ainda é tempo do meu tempo, eu sou o messias
Talvez de um jeito louco, mas respeito as profecias
Lembra de jesus, lembra do que ele falava
Com certeza nunca ouviu nem sequer uma palavra
Sua bíblia tá de enfeite aberta no salmo 23
Anti cristo consciente 666
Mas preocupado com sua roupa, com seu silicone
Conto nos dedos de uma mão quem é sujeito homem
Festa, show, desculpa mas eu vou rasgar o verbo
Pros perdidos que são sangue bom
Já tentei o suicídio, mas não, não vale a pena
A vida é muito louca não é tela de cinema
Eu sei que não queria, mas você já fez
Tava arrependido mas fez mais uma vez
Entra no shopping, desfila, ninguém gosta de você
Em qual danceteria você vai se aparecer
Por que? pra que? Só pra ficar mais triste
Você tem mais o que fazer mas você nunca desiste
Investe nessa porra em busca da decadência
Se olha no espelho, aí, olha sua aparência
Olheira da ressaca, perdeu o sol de novo
Maconha, cocaína, ei, êxtase, socorro!
Amanhã vai ser melhor, é que hoje eu dei azar
Acorda, caralho, é melhor cê acordar!
Não respeita sua família, os da rua são melhor
Está cavando a própria cova, o final eu sei de cor
Mas você é especial né?! Contigo nunca acontece
Desce do seu salto alto, desce, desce!
Ninguém conhece você
Ninguém conhece ninguém
Ninguém é mais que você
Ninguém é mais que ninguém
Deslumbrado com a fama, tipo exportação
Made in Nova Iorque, quanta ostentação
Também tenho os meus defeitos
Eu sei que isso é fato
Que um carro do ano vai me dar mais status
Que um cordão de ouro todo mundo respeita
Que um corpo sarado não tem um que rejeita
Você aceita, mas a culpa é sua
Sua alegria tá em casa, mas você quer ir pra rua
Eu sei como é que é, você sabe que é o capeta
Te falando no ouvido que eu sou um cara careta
Que a parada é trepar
Que a parada é beber
Que a parada é dançar
Que a parada é foder!
Disciplinado na terra pra ser a sua consciência
Meu nome é Mag, mas a sua indiferença
Só vai fazer diferença quando tentar se matar
Só vai se lembrar de mim na janela do oitavo andar
Se pular é inferno, se voltar é depressão
Se imagina baleado, espatifado no chão
Num dia lindo, discípulo, meu papo é reto
Na matéria putaria, prefiro ser analfabeto
Mas de boas intenções o inferno já tá cheio
De traíra, desonesto e você tá lá no meio!
Vítima é o caralho, pra morrer não tem hora
Pensa bem se Jesus voltasse agora!

Meu nome é Mag, vem, me segue
A luz do fim do túnel é o brilho de Jesus
Meu pacto é de sangue
Eu tenho a minha gangue
Ninguém falou que é fácil
Aí carrega a sua cruz
Meu nome é Mag, vem, vem, me segue
Eu sei que a sua vida, não é problema meu
Então dança, trepa, bebe, fuma
Quando tiver fudido, vai reclamar com Deus!

Na sua cabeça o certo ou errado tanto faz
Metidinho a pastor, esse Mag fala demais
Só porque ele se fudeu, acha que não tem amigo
Cada um tem o que merece, não aconteceu comigo
Então a culpa é da criança que nasceu paraplégica
Dos pobre que não tem nenhuma assistência médica
Também é culpa das criança dentro de orfanato
Que não pediram pra nascer dentro de um internato
É fácil falar, né, é fácil julgar
Se imagina sem casa, sem carro, sem celular
Sem dinheiro, sem roupa, geladeira vazia
Sem o dinheiro da orgia pra fazer putaria
Se imagina 3 hora na fila do Lourenço Jorge
Ou em qualquer hospital público onde o pobre se fode
Se imagina fudido
Se imagina cuzão!
Se imagina estendido dentro de um caixão
Que ser humano é você, quando abaixa o seu vidro
Quando vê no farol um moleque pedindo
Quando vê na sarjeta um mendigo sem crença
Ou um faminto roubando por tá com dor de cabeça
Pensa, pensa pensa!
É isso que eu quero
Não levanto bandeira de ninguém e nem quero
Mas é cada um por si
Ninguém joga num time
Nem político nem crente
Nem os mano do crime
Fico com pena no cinema, mas não é nada disso
Se Jesus fosse preto, você não ia ver paixão de Cristo!
Se pensar te deixa louco ou alucinado
É porque mente vazia é oficina do diabo
Filme pornográfico, sexo anal
Em 4 paredes o seu extinto é mais do que animal
Ninguém tá vendo né
Mas que coincidência
As coisa não dão certo desde a sua adolescência
Mas tudo que é lixo é só você que faz questão
Masturbação pensando em quem, sexo a 3 dá mais tesão?
Quer prova o que pra quem?
Quer ganhar ibope, inventa fantasia, vai no sexshop
Agrada o demônio com a sua imundice
A virtude do anti cristo tá
Astúcia e na malícia
Internet, bate-papo, o diabo é bilíngue
Eclético, liberal, inventou o Swing
Mas você não enxerga faz o jogo do inferno
Esse mundo é bonito, mas ele não é eterno
Também preciso comer, também preciso de dinheiro
Também quero chegar lá, quero um carro maneiro
Quero uma casa no campo, meu filho, minha esposa
Vender meu CD, maluco, eu quero tanta coisa
Esquecer os empresário que eu tive contato
Arrumar advogado pra desfazer os contrato
Pedir desculpa pras pessoa que eu também magoei
Dar uma chance pros meus pais que ainda não perdoei
Dá a face da direita pra quem já me fodeu
Também queria dizer que o problema não é meu
Não me deitar com uma puta, não falar palavrão
Não dar tiro em ninguém, me tornar um cristão
Eu tô falando pra você, mas eu tenho humildade
O meu rap eu também ouço e reflito, é verdade
Já que tudo é aparência, então desliga a TV
Só tem traíra na pista, só quem te ama é você
Então não cai nessa cilada, você não é mais um bobo
Pra assistir tanta piada, fantoche de Rede Globo
Ninguém é vítima e pra morrer nunca tem hora
Pensa bem se Jesus voltasse agora!

Meu nome é Mag, vem, me segue
A luz do fim do túnel é o brilho de Jesus
Meu pacto é de sangue
Eu tenho a minha gangue
Ninguém falou que é fácil
Aí, carrega a sua cruz
Meu nome é Mag, vem vem me segue
Eu sei que a sua vida não é problema meu
Então dança, trepa, bebe, fuma
Quando tiver fudido vai reclamar com Deus!

Talvez você esteja numa cadeira de rodas
Seja gordo, magro, feio, eu sei que é foda
Botar silicone eu sei que tá na moda
Tomar anabolizante pra fazer parte da roda
Olho azul é o caralho
Padrão de beleza pra ser uma rainha
Aí cê não precisa ser princesa
Efeito hipnose quanta gente babaca
Se você sonhar com a dor, não me beija mente fraca
Isso me mata de ódio, tá comigo pra que?
Porque eu pareço o artista que você não pode ter?
Falo pros mano do mundo que são honesto e real
Rico, pobre, puta, mendigo, homossexual
Pro meu Deus só importa se a desculpa for boa
Meu Deus é justo, não faz acepção de pessoa
Eu sei como se sente
Eu sei como é que é
Lúcifer é crente, mas ele não teve fé
Eu sei como é difícil ganhar salário mínimo
Vê pastor se dando bem roubando seu dízimo
Vê pratricinha gastando e usando Louis Viton
Vê os mano de importado lá na Barra ou no Leblon
Vê político bandido comprando todos os terreno
E a 100 metros vê família sem coberta no sereno
Aqui ninguém se une, os do morro se destrói
Só fazendo o jogo deles, engordando os playboy
Quero levantar sua estima, mas você dá as costas
Rasta de víbora, Judas prefere ficar na bosta
Volta pra casa discípulo, reve seus conceitos
Dá um beijo no seu filho, na sua mãe vê direito
Os espírito das treva tão aí só pra pagar
Ninguém é insubstituível com repor no seu lugar
Cá entre nós, era você outro dia
Refletindo sozinho dentro de uma danceteria
O cheiro de cigarro, bafo de bebida
De saco cheio de tudo, já na porta da saída
Tava triste pra caralho, tava desconsolado
Mas hoje vai dormir de novo, cansado e angustiado
Mas quem não tiver pecado que atire a primeira pedra
Se num tem nada a perder mas não me chama pra merda
Eu concordo com você e chama atenção
Carnaval, diversão, aí, tira o pé do chão
Depois vem a depressão, vem a consciência
Ninguém assume porque tem que vive de aparência
Mas quando a lua apagar e o sol não brilhar
Quando o mar inundar, quando o vento soprar
Quando os bicho do mar se esconde no oceano
Quando os bicho do ar não tiver mais voando
Quando a terra tremer e tiver terremoto
Quando o vulcão cospe o seu enxofre com ódio
Quando os mortos da terra tiverem ressuscitando
Quando os homem cobaia tiverem quase implorando
Quando a trombeta soar, quando o céu se abrir
Quando os anjos voar dando a notícia do fim
Quando a nuvem descer, quando Yeshua surgir
Quando os monge partir, quando o mar se abrir
Não adianta gritar, nem se arrepender
Não adianta chorar, não adianta correr
Não adianta fingir pra quem é dono do trono
Ninguém vai contra jesus ele não aceita suborno
Só vai subi lá pro céu os humilde de coração
Quem já sofreu injustiça quem sofreu perseguição
Mas os idólatra, alcoólatra, feiticeiro, falso profeta
Pastor, macumbeiro esses vão ficar por um tempo confinar
E meu último pedido vai ser deus eu quero olhar
Cadê sua prepotência, sua fama, seu corpo
Queima seu porco me diz quem é o louco
Até quem fim o povo simples vai ser feliz
Não tem fórum, auditoria meu deus que vai ser juíz
Queima com lúcifer maldito você não é mais ninguém
Em nome do pai, do filho, espírito santo, amém!

Meu nome é Mag, vem me segue
A luz do fim do túnel é o brilho de Jesus
Meu pacto é de sangue
Eu tenho a minha gangue
Ninguém falo que é fácil
Aí carrega a sua cruz
Meu nome é Mag, vem me segue
Eu sei que a sua vida não é problema meu
Então dança, trepa, bebe, fuma
Quando tiver fudido vai reclamar com Deus!
Meu nome é Mag, vem me segue
A luz do fim do túnel é o brilho de Jesus
Meu pacto é de sangue
Eu tenho a minha gangue
Ninguém falo que é fácil
Aí carrega a sua cruz
Meu nome é Mag, vem, vem, me segue
Eu sei que a sua vida, não é problema meu
Então dança, trepa, bebe, fuma
Quando tiver fudido vai reclamar com Deus!


Writer/s: Mag