Marcão Baixada

Itinerante (part. Átomo)


Print songSend correction to the songSend new songfacebooktwitterwhatsapp

Sou daqui, eu sou de lá, tenho mais de um lar;
Sempre a caminhar. Nômade, Sou de todo lugar
Caminho à todo instante, nessa rota. Itinerante!
Minha arte é livre, em movimento constante
Da Selva, do Zoológico, desvio do que é lógico;
Sincronicidade na cidade, tempo cronológico
E eu tô aqui, eu tô ali, meu tempo eu dividi;
Nesse caso ao acaso, com o som me comprometi
Vivo nos fundo de buzão, vivo na condução...
Nos trens, no metrô, encarando a lotação;
Ando sempre munido, com meus fones de ouvido
Baixada é pra onde o coração sempre bate em sentido.
Compulsivo, produtivo, introspectivo;
Presente do indicativo; Ativo, sempre lendo um livro
Em meio a tribulações, reflexões, tiro minhas conclusões
E sei que ideias perpassam gerações

Itinerante, em movimento constante
Sou andarilho, caminho à todo instante
Assim eu sigo minha viagem, sigo minha caminhada
Direto do Rio de Janeiro, eu sou da Baixada. [2X]

Da Baixada, vou pro Centro. Zona Norte, vou por dentro;
Adentro as ruas, evitando contratempo
Zona Oeste, Zona Sul, direção tem de monte...
Rodoviária, circulação diária, pr'outro lado da ponte
É sol, é chuva, arco-íris, brilho no olhar;
Odeio guarda-chuvas, tô aqui pra me molhar.
Nessa viagem, que não tem massagem, levo minha bagagem;
Na mente e no coração, registro imagens
Andarilho, meu caminho eu trilho, com a rima no gatilho;
A cara do Rio: Globo, biscoito de Polvilho.
No Mar de Gente, na Central, é o bonde do trem...
Gente da gente, nesse astral, são mais de cem
O trem tá lotado, o trânsito, engarrafado;
Nada se move e por esse âmbito estamos cercados
Busco novas rotas, novas frotas, novas notas;
E nesse caminho eu não vou colecionar derrota.

Itinerante, em movimento constante
Sou andarilho, caminho à todo instante
Assim eu sigo minha viagem, sigo minha caminhada
Direto do Rio de Janeiro, eu sou da Baixada. [2X]

Eu...
Distância não meço, começo com o pé direito;
Com jeito, como quem pisa sobre ovos.
Não hesito, transito pelo estreito
Em velhos conceitos, porém de tênis novos.
Troveja, mas trovo, em meio as trevas,
Me atrevo, não travo. Dito bravo, se entreva
Moonwalker, passos atrás...
Meu caminho, Deus aplaina,
Bailarino coxo, sem sapatilha polaina
Rodopia, rodopia, mas não cai.
Digo mais: Foreman foi à lona, depois de bater em Ali.
Que diferença faz ser saci ou centopéia, se a odisseia não tiver um Grand Finale?
Sombra da Morte, Vale.
Serpentes e escorpiões pavimentam a rua
Não bato perna em várias direções, pois sem bem aonde Zion se situa.
Átomo continua pelo campo de extermínio,
Debocho dos Nazis rimando em aramaico.
Jesus, lâmpada para os pés, caminho retilíneo
Passos iluminados, como no clipe do Michael.

Itinerante, em movimento constante
Sou andarilho, caminho à todo instante
Assim eu sigo minha viagem, sigo minha caminhada
Direto do Rio de Janeiro, eu sou da Baixada. [2X]


Writer/s: Átomo / Marcão Baixada

The most viewed

Marcão Baixada songs in January