Joca Martins

La Invernada Hornero

Print songSend correction to the songSend new songfacebooktwitterwhatsapp


Vem da invernada dos tempos
Rasgando olheiras de sol
As patas cortam os ventos
No sangue um velho arrebol
Assim chegou no Rio Grande
Para o gaúcho saudá-lo
Desde então por onde ande
Hornero é o rei dos cavalos

Imprime à estirpe essa imagem
Sua função sem igual
Morfologia e coragem
Numa fusão ideal
Surgem campeões para o freio
Em dinastias de irmãos
Arunco, Nobre, Faceiro
Olvido, Inteiro e Brasão
Tantos mais nesse entreveiro
E outros ainda serão

E assim La Invernada Hornero
Morreu ficando em seu clã
Segue a correr nos potreiros
Das gerações do amanhã
Deixem que a lua entordilhe
Lá nas lonjuras do azul
Ficou um pouco do Chile
Nessas manadas do sul

O pago inteiro padece
Faz-se um silêncio de galos
Qualquer gaúcho entristece
Quando se vai seu cavalo
Meu coração bateu asas
Pra se esconder na poesia
E um João Barreiro fez casa
Numa cocheira vazia

Quando um BT se aproxima
Com sua marca no couro
Eu vejo Hornero por cima
Da sua prole de ouro!


Writer/s: RODRIGO BAUER

The most viewed

Joca Martins songs in April