JOSÉ MÁRIO BRANCO


Fecha de nacimiento:
25 de mayo de 1942

Sumario
Trovapedia
Canciones compuestas por
José Mário Branco
Cancioneros con canciones
de José Mário Branco
José Mário Monteiro Guedes Branco, mais conhecido como José Mário Branco (Porto, 25 de Maio de 1942), é um músico e compositor (cf. cantautor) português.

Filho de professores primários, cresceu entre o Porto e Leça da Palmeira, sendo marcado pelo ambiente pobre desta vila piscatória. Iniciou o curso de História, na Universidade de Coimbra, que deixou por terminar. Expoente da música de intervenção portuguesa, começou por ser ativo na Igreja Católica. Depois aderiu ao Partido Comunista Português e foi perseguido pela PIDE até se exilar em França, em 1963. Em 1974 regressou a Portugal e fundou o Grupo de Acção Cultural - Vozes na Luta!, com o qual gravou dois álbuns.

Como interveniente em concertos ou álbuns editados, como cantautor e/ou como responsável pelos arranjos musicais, José Mário Branco é autor de uma obra singular no panorama musical português. Entre música de intervenção, fado e outras, são obras suas famosas os discos Ser solidário, Margem de Certa Maneira, A noite, e o emblemático FMI, obra síntese do movimento revolucionário português com seus sonhos e desencantos. Esta última foi proibida pelo próprio José Mário Branco de passar em qualquer rádio, TV ou outro tipo de exibição pública. Não obstante este facto, FMI será, provavelmente, a sua obra mais conhecida. O seu álbum mais recente, lançado em 2004, intitula-se Resistir é Vencer em homenagem ao povo timorense que resistiu durante décadas à ocupação pelas forças da Indonésia logo após o 25 de Abril. O ideário socialista está expresso em muitas das suas letras.

Trabalhou com diversos outros artistas de relevo da música de intervenção, nomeadamente José Afonso, Sérgio Godinho, Luís Represas, Fausto Bordalo Dias, Janita Salomé, Amélia Muge, Os Gaiteiros de Lisboa e, mais recentemente, Camané, com quem colabora também como produtor. Do mesmo modo compôs e cantou para o teatro, o cinema e a televisão, tendo sido elemento de A Comuna - Teatro de Pesquisa.

Em 2006, com 64 anos, José Mário Branco iniciou uma licenciatura em Linguística, na Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa. Terminou o 1º ano com média de 19,1 valores, sendo considerado o melhor aluno do seu curso. Desvalorizou a Bolsa de Estudo por Mérito que lhe foi atribuída, dizendo que é «algo normal numa carreira académica».

Em 2009 voltou às atuações públicas com dois concertos intitulados Três Cantos, juntando «referências não só musicais mas também poéticas do que é cantar em português»: José Mário Branco, Sérgio Godinho e Fausto


Discografia



  • Seis cantigas de Amigo (EP, Arquivos Sonoros Portugueses, 1967) EP
  • Ronda do Soldadinho (Single, Ed. Autor, 1969) Single
  • Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades (LP, Guilda da Música, 1971) LP/CD
  • Margem de Certa Maneira (LP, Guilda da Música, 1973) LP/CD
  • A Mãe (LP, 1978) LP
  • Marchas Populares (EP, Diapasão, 1978)
  • Gente do Norte- Moncorvo Torre e Gente/Cantar de Viúva de Imigrante (Single, Diapasão, 1978)
  • O Ladrão do Pão (EP, Diapasão, 1978)
  • Ser solidário (2LP, Edisom, 1982)
  • FMI (Maxi, Edisom, 1982)
  • Qual é a tua ó meu / S. João do Porto (Single, Edisom, 1982)
  • A Noite (LP, UPAV, 1985)
  • Correspondências (LP, UPAV, 1990) LP/CD
  • José Mário Branco ao vivo em 1997 (CD, 1997) CD
  • Canções escolhidas 71/97 (CD, 1999) CD (Colectânea)
  • Resistir é vencer (CD, 2004) CD

Colectivos

  • A Confederação (LP, Diapasão, 1978) LP banda Sonora - com Sérgio Godinho e Fausto
  • Maio Maduro Maio (2CD, Sony, 1995) - com Amélia Muge e João Afonso
  • Três Cantos Ao Vivo (CD, EMI, 2009) - com Sérgio Godinho e Fausto

    Com o GAC

  • A cantiga é uma arma (1976) LP/CD (G.A.C.)
  • Pois canté! (1977) LP/CD (G.A.C.)


Colaborações



  • James Ollivier – James Ollivier (1968) LP, Boite à Musique
  • Jean Sommer – Beauté (1968) LP, Barclay
  • Jean Sommer – La fête est à nous (1971) Single, Unisson
  • José Afonso – Cantigas do Maio (1971) LP, Arnaldo Trindade, Orfeu
  • José Jorge Letria – Até ao pescoço (1972) LP, Sassetti, Guilda da Música
  • José Afonso – Venham mais cinco (1973) LP, Arnaldo Trindade, Orfeu
  • José Afonso – Fura Fura (1979) LP, Arnaldo Trindade, Orfeu
  • Quarteto Música Em Si – Página em branco (1980) Songle, Arnaldo Trindade, Orfeu
  • José Afonso – Como se fora seu filho (1983) LP, Sassetti, Triângulo (3 temas)
  • Carlos do Carmo – Um homem no país (1983) LP, Polygram, Phiiips
  • José Afonso – Galinhas do mato (1985) LP, Transmedia, Schiu!(Em colaboração com Júlio Pereira e José Afonso).
  • Janita Salomé – Olho de fogo (1987) LP, Transmedia, Schiu!
  • Carlos do Carmo – Que se fez homem de cantar (1990) LP, Polygram, Philips (2 temas)
  • Amélia Muge – Todos os dias... (1994) CD, Sony Música, Columbia
  • Gaiteiros de Lisboa – Invasões bárbaras (1995) CD, Farol
  • Camané – Uma noite de fados (1995) CD, EMI — Valentim de Carvalho
  • Camané – Bom dia, Benjamim (1995) CD, Movieplay
  • Amélia Muge – Taco a taco (1998) CD, Polygram, Mercury(6 temas)
  • Camané – Na linha da vida (1998) CD, EMI – Valentim de Carvalho
  • Camané – Esta coisa da alma (2000) CD, EMI – Valentim de Carvalho.
  • Camané – Pelo Dia Dentro (2001) CD, EMI
  • Canto Nono – O Porto a 8 vozes (2003) CD, EMI
  • Camané – Sempre de Mim (2008) CD, EMI
  • Sérgio Godinho e Fausto – Três Cantos (2009) 2 CD/DVD, EMI
  • Camané – Do amor e dos dias (2010) CD, EMI


Espectáculos



  • Ser solidário (1980/81/82) - no Teatro Aberto em 1980 e 1981, na Aula Magna em 1982, e digressão pelo país nos anos seguintes
  • A noite (1985) - no Coliseu dos Recreios (Lisboa)
  • Fim de noite (1987) - no Teatro Villaret (Lisboa)
  • Correspondências (1991/92) - digressão
  • Maio, maduro Maio (1991) – Com Amélia Muge e João Afonso
  • Ao vivo em 1997 (1997) - no CCB (Lisboa), no Coliseu (Porto), no Teatro da Trindade (Lisboa) e no Teatro Gil Vicente (Coimbra)
  • Festival Outono em Lisboa (1998) - no Teatro Camões (Lisboa)
  • Bom dia, Benjamim (ao vivo) (1998) - orquestração e direcção musical, no CCB (Lisboa)
  • Do Natal aos Reis (1998) – Com Jean Sommer, no Teatro Rivoli (Porto)
  • As margens da alegria (1999), em Famalicão, Loures, Seixal e Loulé
  • Porto 2001 - FM Estéreo (2001) – Grupo a capella Canto Nono, composição e direcção musical, no Teatro Helena Sá e Costa (Porto)
  • Três Cantos (2009) – Com Sérgio Godinho e Fausto, no Campo Pequeno (Lisboa) e no Coliseu (Porto)


Teatro



Grupo de Teatro da Liga

  • Farsas, de Gil Vicente;
  • Auto da compadecida, de Ariano Suassuna;
  • As espingardas da Tia Carrar, de Bertolt Brecht;
  • Aerofagus (escreveu 26 canções).

Groupe Organon

  • La Comune de Paris
  • O racismo
  • A jovem poesia inglesa e americana

Comuna

  • A mãe, de Bertolt Brecht (1977)
  • Homem morto, homem posto (1979)
  • A Pécora, de Natália Correia (1989)
  • Um estrangeiro em casa, de Richard Démarcy (1990)

Teatro do Mundo

  • A secreta família (1979)
  • O guardião do rio (1980)
  • Ser solidário (1981)
  • Cogumelos (1981)
  • A gaivota (1982)
  • Ano IV D.C. (Calígula, de Camus) (?)
  • Balanço I (?)
  • Terramoto no Chile (?)

Outras participações

  • Fuenteovejuna, de Calderón de la Barca – Teatro Maison de la Culture de Rennes (1972)
  • Liberdade, liberdade – Teatro Vilaret (1974)
  • Galileu Galilei, de Bertolt Brecht – Teatro Experimental de Cascais
  • A mulher do campo – Teatro da Cornucópia
  • Sonho de uma noite de Verão, de Shakespeare – Teatro da Malaposta.
  • A Morte do palhaço, de Raul Brandão – Teatro o Bando (1991) (com recriação em 2011)
  • Gulliver, de Hélder Costa – A Barraca (1997)


Cinema



  • A Confederação, de Luís Galvão Teles (1978)
  • Gente do Norte, de Leonel Brito (1977)
  • O ladrão do pão, de Noémia Delgado
  • Silvestre, de João César Monteiro (1982)
  • Arábia (curta-metragem), de Rosa Coutinho Cabral (1982)
  • Ninguém duas vezes, de Jorge Silva Melo (1985)
  • Atlântida: Do Outro Lado do Espelho, de Daniel Del Negro (1985)
  • Agosto, de Jorge Silva Melo (1988)
  • Três menos eu, de João Canijo (1988)
  • O Som da Terra a Tremer, de Rita Azevedo Gomes (1990)
  • Aqui D'El Rei! (telefilme), de António-Pedro Vasconcelos (1993)
  • Coitado do Jorge, de Jorge Silva Melo (1993)
  • Até amanhã Mário, de Solveig Nordlund (1994)
  • O Rio do Ouro, de Paulo Rocha (1998)
  • A raiz do coração, de Paulo Rocha (2000)
  • A Espada e a Rosa, de João Nicolau (2010)
  • Mudar de Vida: José Mário Branco, vida e obra (documentário) de Nelson Guerreiro e Pedro Fidalgo (2014)


Rádio



  • Emissores do Norte Reunidos (1961)
  • TSF – Música Portuguesa com certeza (1992/1993)


Prémios



  • 1992 - Prémio José Afonso
  • 1996 - Prémio José Afonso


Ver também



  • Michel Giacometti
  •  El contenido de este artículo ha sido extraído de la Wikipedia en portugués bajo licencia Creative Commons.

     










     
    PUBLICIDAD
    PUBLICIDAD

     

    LO + EN CANCIONEROS.COM

     

    HOY DESTACAMOS
    Novedad discográfica

    el 15/09/2018

    El trovador mexicano Alejandro Filio acaba de lanzar su último disco Trova azul, un disco a guitarras y voz que hoy nos cuenta canción a canción.

    HOY EN PORTADA
    Nuevo cancionero y discografía

    por Pepi Bauló el 29/08/2018

    Presentamos el octavo de nuestros cancioneros y discografías anunciados en el marco de nuestro vigésimo aniversario. Martirio —alter ego de Maribel Quiñones—, artista grande y todavía creciendo, aprendiz y maestra, fundamental y fundamentada.

     



    © 2018 CANCIONEROS.COM, CANDIAUTOR 2010 SL

    Notas legales

    Qué es cancioneros
    Aviso legal
    • Política de privacidad

    Servicios

    Contacto
    Cómo colaborar
    Criterios
    Estadísticas
    Publicidad

    Síguenos

       

     

    Acceso profesional