RAUL FERRÃO


Fecha de nacimiento:
25 de octubre de 1890
Fecha de fallecimiento:
30 de abril de 1953

Sumario
Trovapedia
Canciones compuestas por
Raul Ferrão
Cancioneros con canciones
de Raul Ferrão
Escúchalo en Apple Music
Raul Ferrão (Lisboa, 25 de outubro, 1890 — 30 de abril, 1953) foi um militar e compositor português. Entre seus trabalhos mais conhecidos estão as canções Coimbra (1947), Lisboa Não Sejas Francesa e Adeus, a Marcha de Alfama de 1935, entre outros.


Biografia



Raul Ferrão nasceu em 25 de outubro, 1890, em Lisboa.

Frequentou o Colégio Militar entre 1901 e 1907. Em 1907, com 17 anos de idade, ingressou na carreira militar. Foi professor da Escola de Guerra em 1917 e 1918, depois de ter cumprido comissões de serviço em África durante a I Guerra Mundial. Chegou a tenente-coronel do Exército e foi professor na Academia Militar. A música era um hobby.

Ferrão, formado em engenharia química, começou a compor durante os anos vinte e chegou a ser representante da antecessora da Sociedade Portuguesa de Autores, a Sociedade de Escritores e Compositores Teatrais, em congressos internacionais de direitos de autor.

Escreveu música para centenas de peças de teatro e revistas e para alguns dos mais aclamados filmes portugueses. A ele se deve o maior êxito mundial da música portuguesa: "Coimbra", também conhecida como "Avril au Portugal" e "April in Portugal", celebrizada em todo o mundo por Amália Rodrigues, "Cochicho", "Camélias", "Burrié", "Velha Tendinha", "Rosa Enjeitada", "Ribatejo". Escreveu música para operetas como A Invasão, Ribatejo, Nazaré, Colete Encarnado ou Senhora da Atalaia.

Em 1932, foi feito Comendador da Ordem do Mérito Industrial, a 29 de outubro, e Comendador da Ordem Militar de Avis em 12 de outubro de 1935.

Raul Ferrão recebeu, juntamente com José Galhardo (letra) e Mirita Casimiro (canto), o "Prémio Filipe Duarte " (1945/1946) do SNI, atribuído a autores da letra e da música e artista intérprete do melhor número de canto de opereta, por "Menina Lisboa" incluída no espectáculo A Invasão.

No ano seguinte, Raul Ferrão recebeu, juntamente com Fernanda Baptista, o "Prémio Del Negro" (1946/1947) do SNI, atribuído a autores da letra e da música e artista intérprete do melhor número de canto de revista, por "Trapeiras de Lisboa" incluída da peça Canções Unidas.

No cinema escreveu canções para, entre outros, os filmes A Canção de Lisboa (1933), Maria Papoila (1937), A Aldeia da Roupa Branca (1939) ou A Varanda dos Rouxinóis (1939).

Raul Ferrão morreu em 30 de abril, 1953, em Lisboa.

Foi o pai de Ruy Ferrão, realizador e produtor televisivo. O seu nome perdura na toponímia portuguesa, em nomes de arruamentos.


Composições



Canções
  • Cochicho
  • As Camélias
  • Burrié
  • Velha Tendinha
  • Rosa Enjeitada
  • Ribatejo
  • 1933 - Fado do Estudante, para o filme A Canção de Lisboa
  • 1937 - Maria Papoila, para o filme Maria Papoila
  • 1947 - Coimbra , para o filme Capas Negras
  • Lisboa Não Sejas Francesa, originalmente composta para a opereta A Invasão
Marchas
  • 1935 - Marcha de Alfama de 1935
  • 1935 - Marcha da Mouraria
  • 1935 - Là Vai Lisboa - Grande Marcha de Lisboa de 1935
Operetas
  • A Invasão
  • Ribatejo
  • Nazaré
  • Colete Encarnado
  • Senhora da Atalaia


Discografia



  • O melhor de Raul Ferrão (2004, EMI - Valentim de Carvalho)

    1. Alberto Ribeiro - "Coimbra"
    2. Amália Rodrigues - "Só à Noitinha"
    3. Carlos Ramos - "Fado do Marinheiro"
    4. Hermínia Silva - "Fado da Melância"
    5. Vicente da Câmara - "Fado das Caldas"
    6. Maria Teresa de Noronha - "Rosa Enjeitada"
    7. Max - "Carta de Um Soldado"
    8. Lucília do Carmo - "Não Gosto de Ti"
    9. Fernando Farinha - "Velho Friagem"
    10. Maria da Fé - "Fado da Madragoa"
    11. Nuno da Câmara Pereira - "Fado do Ribatejo"
    12. Maria Clara - "Maria Severa"
    13. Carlos Ramos - "Campino"
    14. Júlia Barroso - "Adeus"
    15. Xico Jorge - "Somos Poucos"
    16. Maria Fernanda Soares - "Camélias"
    17. Nicolau Breyner - "Solidó dos Boleiros"
    18. Beatriz Costa - "O Balãozinho"
    19. Amália Rodrigues - "Lisboa Não Sejas Francesa"
    20. Hermínia Silva - "A Tendinha"
     El contenido de este artículo ha sido extraído total o parcialmente de la Wikipedia en portugués bajo licencia Creative Commons.

     










     
    PUBLICIDAD
    PUBLICIDAD

     

    LO + EN CANCIONEROS.COM

     

    HOY DESTACAMOS
    La compañera de Atahualpa Yupanqui

    el 21/05/2020

    Fue la mujer que acompañó a Yupanqui durante casi medio siglo. Pese a que era una gran concertista de piano, dejó a un lado su carrera para acompañarlo. Junto a Atahualpa compuso 65 canciones de enorme éxito, como El arriero y Luna Tucumana.

    HOY EN PORTADA
    28 aniversario de su partida

    el 21/05/2020

    Hace 28 años, Atahualpa Yupanqui, el máximo exponente del folclore argentino moría en Nimes, Francia, horas después de tener que cancelar un recital. Un virtuoso de la guitarra, un poeta de las cosas simples, un hombre comprometido con sus ideas y con su tierra. Un artista que recién en los últimos años fue merecidamente reconocido por su país.

     



    © 2020 CANCIONEROS.COM

    Notas legales

    Qué es cancioneros
    Aviso legal
    • Política de privacidad

    Servicios

    Contacto
    Cómo colaborar
    Criterios
    Estadísticas
    Publicidad

    Síguenos

       

    cancioneros.com/letras
    Acceso profesional